Rapel, Salto Escondido – Nova Roma do Sul/RS

Rapel, Salto Escondido me fez chegar a conclusão que na internet, costumamos ler frases inspiradoras de viajantes. Você já parou para pensar nos seus significados? O que essas frases fazem com nossas vidas? De fato elas nos inspiram, fazem a gente abrir os olhos diante desse gigantesco mundo e das enormes possibilidades contidas nele.

Certa vez, li uma frase na internet que dizia: “explorar novos lugares”. Para muitos é uma simples frase de inspiração, já para mim, é um entendimento muito maior sobre o que procuramos em nossas viagens.

Explorar novos lugares, ao meu entendimento, é explorar o máximo de cada lugar mas não de uma vez só, precisamos ver o mundo com calma para não perdermos nenhum detalhe, e que às vezes, faz toda a diferença para nós mesmos. Sempre que for a lugares novos, procure não conhecer ou explorar todos os lugares ou coisas disponíveis, ou seja, não faça tudo na correria, observe tudo com calma, sinta a energia do lugar, aproveite aquele momento especial.

Isso acontece com todos os lugares que eu já visitei, sempre deixo coisas para se fazer, assim quando retornar conseguirei apreciar outro momento, outro detalhe, que com certeza vai significar tudo.

O local que me trouxe inspiração para escrever este post, é a cascata Salto Escondido na cidade de Nova Roma do Sul/RS – Brasil, um local inóspito, assim posso dizer, pois só se chega através de trilhas, aqui no blog você pode encontrar este lugar, clique aqui. Já estive no local inúmeras vezes, e a cada vez que lá estive, ficava imaginando como seria rapelar naquele enorme paredão de pedra, junto a queda d’água. Essa imaginação que tinha toda vez que ia na cascata virou um sonho,  que demorei algum tempo para torna-lo realidade, mas esse dia chegou!

No sábado, dia 26 de Dezembro de 2015, recebi o convite de um amigo para leva-lo até a Cascata Salto Escondido, pois queria um lugar novo para rapelar, sem dúvida, de imediato aceitei  o seu convite, afinal era meu sonho prestes a se tornar realidade.

No dia 27 de Dezembro foi o dia “D” para mim, hora de desafiar meus maiores medos, realizar aquele sonho guardado a tanto tempo.  Fomos em cinco pessoas, sendo dois casais e o fotógrafo da TREKKING RS. Chegamos à cascata e logo começamos a preparar as ancoragens, levamos conosco 2 cordas, uma com 100 metros e a outra de 150 metros de comprimento pois não sabíamos qual era a real altura do lugar.

Depois de 2 horas fazendo as ancoragens necessárias e conferindo cada detalhe, resolvi encarar meus maiores medos, fazer aquela descida de mais de 100 metros de altura, desci até a crista da cachoeira e esperei minha companheira de descida, enquanto ela colocava todos os equipamentos necessários para a prática desse esporte, eu estava ali, no lugar em que se desse mais um passo para baixo, não poderia mais voltar, meu coração estava acelerado, o medo em mim era visível. Sempre dizem que se temos medo de altura não devemos olhar para baixo, fiz o contrário do que dizem, olhei para baixo e vi a grandiosidade do Cascading que iria fazer.

Rapel, Salto Escondido

Era de fato um desafio e tanto, nessa hora pensava em muitas coisas, me fazia certas perguntas, será que vou conseguir? Será que não vai me dar um pavor no meio da descida? Nesse momento, olhei para o céu azul e isso me acalmou, senti a água fria da cascata, minha companheira de descida já estava próxima a mim.

Ela chegou e perguntou, você está com medo? Eu disse! Claro que estou! Ela respondeu, tô morrendo de medo. Respirei fundo e disse para ela ” não podemos deixar o medo tirar a chance de fazer o que gostamos”. A frase que disse a ela foi de fato a dose de motivação que faltava para nós dois, aí então ela olhou para mim e falou: “vamos descer?”, pelo que respondi: ” vamos!”

 

A cada passo que dávamos era mais difícil, pois nos olhávamos  e víamos o medo presente, a cada passo, era uma nova oportunidade de desistir. Descemos um pouco mais, minha companheira de aventura me olhou e falou: “quero voltar, não vou conseguir”. Olhei para ela e calmamente falei: “Está tudo bem, vou lhe ajudar a descer, fica calma”.  Ao contrário do que pediu, continuamos a descer, e seguindo, olhei para ela e falei: “Agora não tem mais volta, vamos ter que descer eu e você, com medo ou sem medo”.

Rapel, Salto Escondido

Rapel, Salto Escondido

Rapel, Salto Escondido

Depois da descida, uma dose de adrenalina tomou conta de nós, aquela sensação plena e satisfatória do dever cumprido. Nessa descida, experimentamos a força da água tocando no capacete, as pedras lisas  e cheias de limo, mal conseguíamos nos apoiar nelas, mas tudo isso serviu para mostrar que somos mais fortes, que superamos mais uma vez os nossos maiores medos.

Posso dizer de fato, que foi um dos lugares mais difíceis que já desci, a descida é bastante técnica, local com muito limo,  pedras pontiagudas e escorregadias, por isso não recomendo para pessoas sem experiência nesse esporte.

Olhando a cascata lá de baixo, ficamos sem palavras, olhando aquela imponente queda d’água, enquanto o outro casal de amigos começava a descida. Ficamos ali, olhando e admirando a beleza do lugar e observando nossos amigos descendo devagar, sem pressa. Dava para notar lá de baixo que estavam encantados.

Rapel, Salto Escondido

Rapel, Salto Escondido

Rapel, Salto Escondido

O Cascading é um esporte de aventura que consiste na exploração progressiva de uma cachoeira.  Essa prática surgiu no final da década de 70 na Europa, seus praticantes precisam transpor os obstáculos com técnicas e equipamentos da modalidade.

Veja também: @Trekking RS: Melhores lugares no Rio Grande do Sul para praticar Rapel

 

Luís Henrique Fritsch
Luís Henrique Fritsch
Trekker, mochileiro e viajante, pratica atividades ao ar livre desde do ano de 2000, foi membro ativo do Movimento Escoteiro por 14 anos no Grupo de Escoteiro Salto Ventoso/82. Apaixonado por acampamentos, café e fotografia (seu maior hobby é fotografar o pôr do sol), atualmente trabalha na área de mídias social/marketing digital.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *